Esfoliante de Alfazema Provençal, da Phebo

Que eu gosto e uso produtos da Granado/Phebo desde bebê já não é segredo aqui no blog, né.

Assim como também não é segredo as minhas lamúrias por produtos que marcam muito por sua funcionalidade  e/ou fragrância, mas que simplesmente são descontinuados sem justo motivo ou substituição condizente.

É o caso do que eu tenho sentido com o raspo do tacho que me resta do esfoliante Alfazema Provença da Phebo, que comprei pouco tempo antes de parar a produção, mas que convém muito citar aqui, quem sabe para que retorne mais rapidamente ao mercado.

Aliás, eu mesma já sugeri à marca não apenas o retorno como também a abrangência da linha de banho, especialmente dessa versão de alfazema nada enjoativa, mas também das fragrâncias “limão siciliano” e “figo da Turquia”.

Como é raro ainda encontrá-lo, não quero deixar passar em branco, ressaltando apenas as minhas considerações sobre o produto.

A esfoliação não é seca, isso é, é úmida quase cremosa e sem ser oleosa, fazendo com que a esfoliação se torne suave, com textura mais próxima do açúcar que do sal. Portanto, é uma esfoliação bem fina também.

Essa consistência ajuda a dar certa emoliência na pele, além da limpeza abrasiva mesmo que sutil.

Espalha bem no corpo úmido e que necessita de enxágue.

A fragrância foge um pouco da alfazema clichê e proporciona uma sensação de acalanto e frescor, tal como o o orvalho e musgo molhado numa manhã levemente ensolarada após um chuvisco de madrugada.

Agora estou em busca de um outro esfoliante que me satisfaça todas essas percepções. Provavelmente terei de fazer o meu próprio esfoliante.

Essa é uma problemática de muitas empresas que “tiram o doce” do cliente. Se o cliente for antenado em cosméticos como eu, ele pode descobrir uma infinidade de alquimia de cosméticos independentes que se possa fazer em casa e ter um bom substituto àquele retirado de mercado, e a empresa deixando de exercer uma presença crucial na vida daquele cliente.

E você? Também vê a saída de um produto como oportunidade de procurar por cosméticos autorais/receitinhas caseiras?