Swimming In The Stars – a desgarrada música do álbum Glory de Britney Spears

Pois é, nos infortúnios de 2020 também aparecem coisas novas.

E Britney Spears aproveitou para lançar meses atrás o seu recente álbum, intitulado Glory, com single já lançado da canção Make Me.

Pois é… quando se espera muito… Se espera em vão, porque a expectativa nunca atinge o frenesi.

Pra quem ainda não conhece, eis o álbum que, agora em novembro, foi divulgada a polêmica sobre a faixa inédita Swimming in the Stars, que comentarei depois da conclusão de cada faixa do álbum principal:

Invitate – mal sinal. O álbum é inaugurado com uma música devagar e morna.

Make Me – embora tenha efeitos bastante sintetizados, eletrônicos, etc e tal, também fica difícil emplacar, mas o refrão é bem pegajoso.

Private Show – Nossa! A música inteira é bem de volta ao passado, estilo de músicas de adolescente em seriado infanto-juvenil da Disney.

Man on the Moon – parece uma mescla de ritmo e falta de emoção das duas faixas anteriores

Just Love Me – pra mim, somente nessa faixa é que o estilo tem mais impacto ao nome que Britney construiu. Tem umas batidas boas, mesmo sendo uma música romantizada;

Clumsy – a primeira faixa mais agitada do álbum, embalada numa atmosfera mais vintage, lembrando um estilo cabaré;

Do You Wanna Come Over? – o que parecia ser uma batida mais eletrônica e agitada, tem idas e vindas amornadas e com um coro dispensável

Slumber Party – com participação de Tinashe, a música puxa nuances de Reggae;

Just Like Me – igual ao seu quase título homônimo rsrsrs, Just Love Me, essa música remete bem o estilo pop de Britney;

Love Me Down – outra música enjoativa, de refrão nada criativo;

Hard to Forget Ya – mais outra canção pra encher o álbum, daquelas que você entende que o álbum está chegando ao fim;

What You Need – outra música que você espera mais ver encenado pelo High School Music que pela própria cantora;

Mood Ring – bem músicas de créditos finais na subida do casts de filmes, sacam?! Mas é legal.

Agora, a inédita Swimming in the Stars já é outra história.

Essa sua música ficou totalmente desgarrada, isso é, de fora do repertório oficial do álbum, mas que agora é lançada como single e com toda a arte da foto by David La Chapelle, com venda exclusiva em vinil. Sim, em vinil e já parece super disputada por fãs.

E a venda também será exclusiva, ou seja, apenas através da Urban Outfitters, loja americana especializada no comércio de itens de edições limitadas.

Por enquanto, um teaser da música já está no YouTube, sendo possível notar a nuances eletrônicas, dançantes (EDM) com produção a la Zedd, ou seja, daquelas mais paradas, sem muitas explosões emocionais. OUÇA:

Pois é, eis mais um lançamento de um trabalho concluído sob conflitos de vida pessoal e profissional da cantora, já que ainda pende a ação judicial em que Britney tenta reaver a sua capacidade civil de gerir seus negócios, além do fuzuê de clipes rodados em cima da hora e outras tomadas de decisões de seu staff na produção dessa “era Glory” da cantora.

E todo esse momento conturbado da vida da cantora se reflete claramente na imagem das fotos, em que mesmo captada na sua beleza, há correntes largas e grandes que te rodeiam. Uma vida de amarras de onde se pretende ver livre.

A expectativa de vinculação oficial da música integral no mundo digital ainda é incerto.

Mais em: https://portalpopline.com.br/musica-inedita-britney-spears-lancada-vinil/ / https://portalfamosos.com.br/urban-outfitters-lancara-musica-inedita-de-britney-spears-hoje-11-confira-previa/ / https://vogue.globo.com/celebridade/noticia/2020/11/em-meio-batalha-judicial-musica-inedita-de-britney-spears-sera-lancada-em-vinil.html / https://www.emaisgoias.com.br/musica-inedita-de-britney-spears-swimming-in-the-stars-sera-lancado-em-vinil-veja-capa/ /