A grande mãe em todos os lugares – Ave Maria das Ruas

O instinto materno e o ato de ser mãe em todos os momentos e frações de segundos desempenham um dom árduo e sublime ao mesmo tempo, impondo a conciliação de momentos felizes e afetuosos mesmo sobre os mais diversos tipos de adversidades. Daí o famoso brocardo de que “ser mãe é padecer no Paraíso“.

E os sentimentos protetores de uma mãe para com o seu filho são sempre buscadas como verdadeira forma de amparo.

Por isso que, hoje, acho super conveniente citar uma música muito bonita e humilde, composta e interpretada por Raul Seixas, composição esta também de Paulo Coelho e que nem todos a conhecem, assim denominada Ave Maria das Ruas, a grande Mãe que todos buscam, não importa onde estejam.

E, como já citei anteriormente, Ave Maria das Ruas, retrata o amor, coragem e condescendência maternal, como algo divino da Mãe intercessora e na forma como queiram denominar.

Essa música acaba sendo mesclada como verdadeira oração e fica a dica de um Feliz Dia dedicado a todas as mamães:

No lixo dos quintais

Na mesa do café

No amor dos carnavais

Na mão, no pé, oh

Tu estás, tu estás

No tapa e no perdão

No ódio e na oração

Teu nome é Yemanjah (Yemanjah)

E é Virgem Maria

É Glória e é Cecília

Na noite fria

Oh, minha mãe

Minha filha tu és qualquer mulher

Mulher em qualquer dia

Bastou o teu olhar (Teu olhar)

Pra me calar a voz

De onde está você

Rogai por nós

Ooooh, Ooooh!

Minha mãe, minha mãe

Me ensina a segurar

A barra de te amar

Não estou cantando só

Cantamos todos nós

Mas cada um nasceu

Com a sua voz,

Ooooh, Ooooh!

Pra dizer, pra falar

De forma diferente

O que todo mundo sente

Segure a minha mão

Quando ela fraquejar

E não deixe a solidão

Me assustar

Ooooh, Ooooh!

Minha mãe, nossa mãe

e mata minha fome

Nas letras do teu nome

Ooooh, Ooooh!

Minha mãe, nossa mãe

E mata minha fome

Nas letras do teu nome

Ooooh, Ooooh!

minha mãe, nossa mãe

E mata minha fome

Na glória do teu nome.

Anúncios