Prometheus e a história continua com o estreante Alien: Covenant.

Alguns segredos nunca devem ser revelados.

A busca por nossas origens podem nos levar ao fim.

prometheus_movie_poster

Faz tempo que não comento de filmes por aqui, né?!

Em minha escolha aleatória, resolvo ir de Prometheus.

Trata-se de um filme de ficção científica com o intuito de melhor esclarecer o início da franquia Alien e, principalmente sobre como o xenomorfo desenvolve sua tecnologia anatômica resistente a diversos fatores e com a esteriotipagem repugnantemente semelhante aos terráqueos.

Muito relevante também é deixar claro o objetivo de se explorar outro planeta, qual seja, a busca insana de um milionário pela imortalidade com investimentos ultra extravagantes para pesquisar o que fosse necessário ao que seria sobre nossas origens e em planeta compatível com o nosso habitat.

De quebra, há uma abordagem interessante entre ciência e religião. De encontrar um ponto-chave entre o Criacionismo/Teocentrismo e o Humanismo/Antropocentrismo.

Isso porque as sequências foram um pouco decepcionantes que o primogênito, pois as histórias são fragmentadas, espaçadas no tempo e, sinceramente, bastante desconexas. A pessoa tem de presumir o desenrolar da trama. Gosto de todos, mas a franquia Alien ficou um pouco perdida no roteiro, mudança de diretores, mesmo que ótimos, etc.

Aliás, aproveito para fazer um adendo ao fato da famosa franquia ainda fazer tanto sucesso, inclusive no universo Geek, depois de décadas de seu surgimento, além de ser um dos bons exemplos de filmes que inspiram a criação de games e não o contrário, como naturalmente ocorre.

Para quem não sabe, o primeiro filme da franquia, denominada Alien, O Oitavo Passageiro, foi lançado em junho de 1979. Sim,  Alien é quarentão.

De um modo geral, para mim, o primeiro filme é o que mais prende a atenção.

Alien não se detém apenas ao gênero ficção científica, mas também encabeça a lista dos principais trillers da década de 70.

E, para quem ainda não sabe, a franquia ganhará mais um filhote (só para estragar a minha quadrilogia na estante rsrsrsrsrs – conclusão: ficarei com a quadrilogia e seus agregadinhos).

Sobre a história envolvendo o temido e tão icônico xenomorfo, este será o sexto filme, já incluindo o “puxadinho” Prometheus que teve consideráveis críticas no roteiro. Alguns erros que nenhuma tripulação cometeria ao lidar com vida extraterrestre e atmosfera desconhecida.

O intitulado Alien: Covenant já tem data definida de lançamento nos EUA: 19 de maio de 2017, ou seja, daqui a poucos dias e dará sequência a Prometheus, com os mesmos clichês… expedição de nave cheia de fanfarrões.

Eu realmente gostei muito de Prometheus, principalmente a cirurgia abdominal de Elizabeth Shaw.

O filme que aqui destaco também explica os formatos e o estado dos lugares que são encontrados e explorados pelos tripulantes da nave Nostromo que recebe um pedido de socorro no primeiro filme.

Só não conseguiram explicar o motivo de uma nave posterior ser demasiada rudimentar em relação ao já destruído em Prometheus e agora no Covenant, né. A disparidade de tecnologia é grotesca e não poderia se justificar pela época das gravações dos filmes. Em se tratando de ficção científica as pessoas podem abusar na imaginação futurista, né.

Ridley Scott dirigiu o primeiro filme, Prometheus e o mais recente Covenant, mesmo que com divergências entre roteiristas.

O novo filme chegou a ser chamado de Prometheus 2 e Alien Paradise Lost, mas alterado para Covenant e, ao que parece, fazia parte das desavenças de direção/produção/roteirismo.

Confira o trailer e especificações técnicas, primeiramente de Prometheus e, em seguida, de Alien: Covenant.

Sinopse: O visionário diretor Ridley Scott retorna ao gênero que ele ajudou a definir, criando um épico de ficção científica original em um dos lugares mais perigosos do universo. O filme une uma equipe de cientistas e exploradores em uma jornada que testará os limites físicos e mentais, colocando-os em um mundo distante, onde eles descobrirão as respostas para nossos dilemas mais profundos e para o grande mistério da vida.

Título Original: “Prometheus”.

Diretor: Ridley Scott

Produção: David Giler, Walter Hill, Ridley Scott

Distribuição: Fox Film do Brasil

Gênero: Ficção Científica

Elenco: Noomi Rapace, Michael Fassbender, Charlize Theron, Idris Elba, Guy Pearce

Lançamento: 2012

Música: Marc Streitenfeld

Figurino: Janty Yates

Fotografia: Dariusz Wolski

Desenho de Produção: Arthur Max

Duração: 113 min.

Classificação: 14 anos

Alien_Covenant_Poster

Sinopse: Viajando pela galáxia, os tripulantes da nave colonizadora Covenant encontram um planeta remoto com ares de paraíso inexplorado. Encantados, eles acreditam na sorte e ignoram a realidade do local: uma terra sombria que guarda terríveis segredos e tem o sobrevivente David (Michael Fassbender) como habitante solitário. Sequência de Prometheus (2012).

Título Original: “Alien: Covenant”.

Diretor: Ridley Scott

Produção: David Giler, Mark Huffam, Michael Schaefer, Ridley Scott

Distribuição: Fox Film do Brasil

Gênero: Ficção Científica

Elenco: Michael Fassbender, Katherine Waterston, Billy Crudup, Danny McBride

Lançamento: 2017

Música: Jed Kurzel

Figurino: Janty Yates

Fotografia: Dariusz Wolski

Desenho de Produção: Chris Seagers

Duração: 122 min.

Classificação: 14 anos

E mesmo com tantas continuações, o agradecimento de todo o sucesso também de ser atribuído, indubitavelmente à atriz Sigourney Weaver,  a eterna tenente de voo Ellen Ripley que protagonizou os quatro primeiros filmes e ao artista plástico H.R. Giger (1940 – 2014), criador da asquerosa figura do alienígena.

Resultado de imagem para sigourney weaver com alien

Resultado de imagem para H.R. Giger com o alien

Anúncios