Falando Grego

A maioria dos americanos tem um jeito arrogante de debochar dos conterrâneos e menosprezar a cultura do país em que visitam, etc.

… Principalmente no Brasil, em que nos generalizam com a maior mediocridade, fazendo tudo aquilo que lhes é reprovável, como se não houvesse leis e necessidade de respeito por aqui.

E se for para tornar a imagem de um país mais desastrosa, eles inventam mesmo, sem medir consequência, conduta típica daqueles que são covardes e sem caráter.

Sim, ainda remonto a pífia situação protagonizada por Ryan Lochte e seus lacaios, durante as Olimpíadas no Brasil.

A boa notícia é que nossos atletas não são desrespeitosos ou mesmo criminosos quanto aos demais Estados ou compatriotas.

Fazemos o que podemos para ser hospitaleiros, mas não podemos dizer o mesmo dos estadunidenses.

Tampouco procuramos ser vândalo, cometer danos, xingamentos e outras algazarras para simular um falso assalto e sustentá-lo depois de diversas evidências.

E, essa situação tem muito a ver com o filme em destaque.

Turismo no país dos filósofos e justamente das Olimpíadas!

O filme, além de combinar com a atmosfera Olímpica, uma das maiores heranças que a Grécia pôde propiciar à humanidade, retrata de forma engraçada o comportamento de turistas de cada país e as suas peculiaridades, inclusive ruins, tais como a infâmia de superioridade de um turista sobre o outro, onde acham que tudo está à venda ou que tudo e todos têm um preço, os estressados e insatisfeitos com a vida e que vivem status, etc.

O filme extrai uma simples reflexão de que temos de estar dispostos a aceitar as pessoas do jeito que são, nos tornando mais flexíveis e tornando a vida mais fácil, até mesmo para que ótimas oportunidades sejam atraídas, especialmente quando se busca um grande amor.

Obs.: Momento “mala velha”: e que amor, né mulherada!

Ficha técnica:

Sinopse: Georgia (Nia Vardalos) é uma americana de origem grega, que trabalha como guia turística na Grécia. Ela está cansada do emprego, pois os turistas que recebe estão mais interessados em fazer compras do que em aprender sobre a cultura local. Para piorar a situação, há anos ela não tem um envolvimento amoroso. A situação muda quando Georgia conhece Irv (Richard Dreyfuss), um turista que tenta lhe mostrar a possibilidade de ser feliz novamente.

Título Original: “My Life in Ruins

Diretor: Donald Petrie

Produção: Michelle Chydzik Sowa e Nathalie Marciano

Distribuição: Imagem Filmes

Gênero: Comédia Romântica

Elenco: Nia Vardalos, Alexis Georgoulis, Richard Dreyfuss, Rachel Dratch, Harland Williams, Alistair McGowan

Lançamento: 2009

Música: David Newman

Figurino: Lala Huete e Lena Mossum

Fotografia: José Luis Alcaine

Desenho de Produção: David Chapman

Duração: 98 min.

Classificação: 12 anos

Anúncios