Women in Rock

Quem disse que mulher não gosta, não curte ou não entende do bom e velho Rock n’ Roll e Heavy Metal?

Eu, por exemplo, sou super delicada, tenho minha profissão, diversos hobbies, dentre eles ter um gosto sonoro bem peculiar.

Curto quase de tudo MPB, Jazz, Blues, Soul, Pop, Clássico e Óperas, Lounge, mas o meu maior repertório está na parte mais pesada.

E nem me peçam para abordar sertanejo, pagode, axé ou coisas do tipo. Eu, definitivamente, não gosto e não entendo lhufas.

E já que eu não tive tempo de postar esta seleção no último dia 13, farei agora em pleno fim de mês, eu dedicarei este post aos grupos musicais que possuem frontwoman, ou seja, bandas lideradas por mulheres, dentre outras cantoras do mundo Rock em suas variadas vertentes.

Ah! Ao lado vocês agora podem conhecer as músicas destes gêneros que eu ouço também no Spotify (ainda tem muito o que inserir).

3d59bfb88f0cd6e117c09c347618260d.jpg Joan Jett já era bem conhecida por integrar o grupo feminino The Runaways, mas se elevou na carreira solo. Destaques de atitudes rebeldes, maquiagens fortes e assumindo o vocal e guitarra. A primeira música que destaco é, com certeza, conhecida de muitos ouvintes, até mesmo daqueles que não são adeptos do gênero musical:

m-train.jpgPatti Smith, para mim, é ícone feminino no cenário mais Punk Rock. Destaques para a sua androginia. Hoje tem sido bem elogiada com seus livros publicados:

PJ-Harvey-to-record-album-010.jpg PJ Harvey se inspirou muito em Patti Smith, inclusive no estilo musical mais underground, todavia ressaltando o figurino colorido e brega dos anos 90. Hoje suas músicas e toda a proposta estão bem mais maduras:

Courtney-Love-Reuniting-Hole-Celebrity-Skin-Lineup.jpg Courtney Love é figurinha carimbada quando o assunto é polêmica, principalmente quando o assunto envolve o relacionamento que tivera com Kurt Cobain, do Nirvana. A banda em que liderava, Hole, carregava bem o estilo de rock alternativo e juvenil americano dos anos 90, sendo a principal banda de grunge feminino:

Doro_Pesch_–_Wacken_Open_Air_2014_03.jpg Doro Pesch é bastante conhecida como a rainha do heavy metal e não é para tanto. A cantora alemã conseguiu chamar mais a atenção na banda Warlock, mas despontou mesmo com sua carreira solo, incluindo diversas participações com outros renomados grupos, além de apresentações no maior festival de heavy metal da atualidade, o Wacken Open Air. Seu figurino é o que mais remete ao heavy metal… bastante preto, couro, spikes etc:

Delain2014_1.jpg Delain é um daqueles grupos representados por frontwomans com estilo mais sinfônico e voz suave, mas confesso não ser muito a minha praia. Neles também se enquadram Épica, Within Temptation…

54038.jpg Nightwish é a banda do gênero do metal sinfônico, melódico e lírico que mais gosto, todavia limitada durante a fase de Tarja Turunen, ou seja, até o álbum Once:

arch_enemy.jpg Agora, se a conversa é sobre death metal, então a melhor banda para representar a força feminina nos vocais é com Arch Enemy. Igual ao Nightwish, meu gosto predileto está na fase em que a também contara alemã, Angela Gossow, integrava o grupo:

Untitled-6.jpg Girlschool: grupo feminino de heavy metal tradicional do reino unido que tiveram o prazer de participar de turnês com, nada mais nada menos que Motörhead:

crucified-barbara.jpg Crucified Barbara: outra banda inteiramente feminina, pesadinho, surgida da Suécia e mais atual:

pitty 4.jpg Pitty é a única mulher da atualidade a manter a chama do rock, embora longe de ser pesado, no Brasil e conseguindo agradar uma quantidade considerável do público:

ritalee1.jpgIsso sem falar da irreverente, provocativa e… mutante Rita Lee. Já fiz um post específico dela aqui.

The_Pretty_Reckless.png Vocês se lembram de Taylor Momsen pequena… que protagonizou o filme O Grinch?

Então, ela cresceu e assume o posto de vocalista do grupo The Pretty Reckless:

Também não podia deixar de citar o Pop Rock e até aquele rock que tão emo se torna pop:

pic.jpg E, finalmente, não posso, de forma alguma, terminar o post sem citar uma grande voz feminina no Rock, com raízes também no Blues e Soul já nos anos 60: Janis Joplin. Não gosto muito destas comparações, mas na época, Janis era conhecida como a garota branca de voz negra, por conta de seu peculiar e surpreendente timbre de voz, uma grande cantora que teve sua carreira interrompida pela heroína:

 

 

Anúncios