Uma Linda Mulher

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, não poderia deixar de citar um filme já conhecido de todos, aclamado pela crítica e que nunca deixa de ser atual: Uma Linda Mulher.

O próprio filme, no meu ponto de vista, é impecável, pois capta a essência dos sentimentos femininos que, consegue ser o que quiser, porém mascarando uma série de combinações quase que infinitas em analisar o mundo ao seu redor, principalmente o público masculino.

Trata-se de um conto de Cinderela, projetado para algo mais real. Uma jovem garota de programa que tivera altas decepções na família e nos amores, atrelado à falta de estudo e condições financeiras até encontrar um homem riquíssimo, onde acabam se envolvendo, sem mesmo ser através do sexo, já que a simplicidade da garota era algo que o surpreendia o tempo todo.

Qual mulher não se colocou no lugar da personagem Vivian (Julia Roberts) ou mesmo já vivenciou o fato de ser destratada em loja; de ter sido fruto de pré-julgamento pela vestimenta; de ter um homem que saiba valorizar uma mulher, enaltecendo seus atributos, estando sempre presente e suprindo suas necessidades…

… De perceber que homens podem pensar, falar e agir com uma mulher da maneira que quiser, sem que possamos nos defender ainda que sob o mesmo tratamento para que sintam o mesmo ou parecida sensação de se tratado objeto, tal como uma frase dita pela personagem Denise Hennessey no filme P.S. Eu Te Amo: “Depois de séculos de homens olhando para meus seios, em vez de meus olhos e apertando minha bunda, em vez de apertar a minha mão, agora tenho o direito divino de olhar para parte de trás de um homem com apreço e vulgar barato se eu quiser!

De forma geral, não precisamos ser prostitutas para se colocar no lugar de Vivian, a sonhadora garota em busca de um homem capaz de te resgatar das constantes vulnerabilidades.

Este filme eu realmente amo! São tantas cenas, uma das mais comoventes, além do seu passeio pela Rodeo Drive, é quando Edward Lewis (Richard Gere) desconfia do uso de drogas de Vivian quando, em verdade, ela apenas esconde o fio dental, com vergonha de usar em sua frente por conta das sementinhas de morango em seus dentes.

Mas há cenas assim o tempo todo. Fiquei até com vontade de assistir novamente.

Confira o trailer:

 

Ficha técnica:

Sinopse: Magnata perdido (Richard Gere) pede ajuda a uma prostituta (Julia Roberts) que “trabalha” no Hollywood Boulevard e acaba contratando-a por uma semana. Neste período ela se transforma em uma elegante jovem para poder acompanhá-lo em seus compromissos sociais, mas os dois começam a se envolver e a relação patrão/empregado se modifica para um relacionamento entre homem e mulher.

Título Original: “Pretty Woman”.

Diretor: Garry Marshall

Produção:  Arnon Milchan, Steven Reuther,

Distribuição: Disney / Buena Vista

Gênero: Comédia romântica

Elenco: Julia Roberts, Richard Gere, Laura San Giacomo, Héctor Elizondo, Jason Alexander

Lançamento: 1990

Música:  James Newton Howard

Figurino: Marilyn Vance

Fotografia: Charles Minsky

Desenho de Produção: Albert Brenner

Duração: 119 min.

Classificação: Livre

Anúncios