Um apanhado sobre as empresas de cosméticos de 2015 para 2016

Mais um ano se inicia e estamos numa política e numa economia malfadada ao fracasso e quem me dera dizer o contrário.

Não somos um país emergente, mas sim emergencial. Aquele sempre à espera de socorro.

Um país marcado pela cultura do improviso, para sobreviver e não viver com as próprias pernas.

Ainda assim, somos um dos países mais consumistas quando o assunto é beleza.

Isso sem contar nos eventos próprios para incentivar o setor e divulgar ótimos lançamentos, tal como ocorreu com a Beauty Fair

Então, passarei a citar os altos e baixos que notei no último ano e que, com certeza, terão reflexos (alguns já anunciados) para este 2016:

🙂 😦 😦 Sai a Body Store, entra a The Body Shop: a marca inglesa, conhecida por sua gama de produtos de embalagens coloridas e chamativas, com utilização de ativos selecionados ao redor do mundo e variadas e acentuadas fragrâncias desembarcou no Brasil por meio da Body Store que, com o decorrer de 2015, tivera de retirar seus próprios produtos para não concorrer com a marca recém-chegada, marca esta pertencente ao conglomerado da L’Óreal.

Bom, porque eram produtos que já estávamos carentes por não encontrar por aqui, fomentando ainda mais os gostos por suas famosas manteigas corporais, por exemplo.

Mau, porque os produtos da Body Store tinham a sua importância e muitos que nem mesmo são fabricados por sua substituta. É aquela história: para ganharmos mais, temos de abdicar de outras.

Tanto que até as placas das lojas já foram alteradas para efetivamente constar “The Body Shop”.

Outros fatores ruins: produtos sendo importados à conta gota, dando a impressão de que estejam ressabiados com o poder de consumo dos brasileiros (carga tributária e ANVISA são casos de puro planejamento), além de estarem muito caros (https://favodefel.wordpress.com/2015/02/08/teste-me-atraindo-o-clima-de-outo/);

The-Body-Shop.jpg

🙂 A sincronização das cores ditadas pela moda, principalmente para vestuários, também se estenderam muito bem ao frenesi dos batons líquidos de diversas marcas que não são luxuosas, mas que aproveitaram o momento para expansão, conquistando os corações das mulheres vaidosas e antenadas. É o caso da Dailus, Vult, Koloss, Maxlove e que fizeram com que eu, por exemplo, tomasse conhecimento de outras marcas, como Zanphy, Verídica, DiHellen e tantas outras.

Produtos já conhecidos na maquiagem e mais caros também aproveitaram a onde, como a Quem Disse Berenice, Tracta, Paytot…

O bafafá das cores ficaram ao encargo do Marsala e aproveitando o Radiant Orchid (até um pouco mais intenso) (https://favodefel.wordpress.com/2015/05/25/batom-liquido-dailus-pro-blush-mosaico-vult/);

🙂 Ponto positivo também para a Vult que melhorou e aumentou os seus produtos, chegando com quiosques próprios em shoppings;

😦 A Maybelline também possui batons líquidos de longa duração, inclusive com bálsamo, investiu no marketing pela imagem de Bruna Marquezine, mas as vendas… Não alavancaram o suficiente. Tanto que presenciei quiosques dando esmaltes de cores encalhadas e prestes a vencer como brindes. A oscilação de preços também ofuscou (https://favodefel.wordpress.com/2015/03/03/labios-pintadinhos-por-mais-tempo/);

maybelline.jpg

🙂   A Yves Rocher se intensifica com novas lojas no Brasil. A marca francesa ganha mais força, concorrendo com a L’Occitane, por exemplo, trazendo alguns produtos bem diferenciados (https://favodefel.wordpress.com/2015/06/29/minha-wishlist-do-mes/) e com fragrâncias que são mesmo best seller (https://favodefel.wordpress.com/2015/03/06/fragrancia-de-mulher-decidida/).

Uma competição assídua também para ver quem consegue aumentar os preços para assustar suas consumidoras.

http://www.novasnoticias.com.es/news/marca-francesa-yves-rocher-inaugura-primeira-loja-em-fortaleza/?utm_source=copy&utm_medium=paste&utm_campaign=copypaste&utm_content=http%3A%2F%2Fwww.novasnoticias.com.es%2Fnews%2Fmarca-francesa-yves-rocher-inaugura-primeira-loja-em-fortaleza%2F;

🙂 A marca grega Korres não tinha conseguido permanecer no Brasil por KORRES avon.pngconta própria há alguns anos, mas viera este ano intermediada pela Avon, com produtos também comercializados pela Sephora e com a notícia de que seus produtos também passariam a ser fabricados pela Avon.

O resultado é de que o preço de seus produtos realmente é mais acessível do que eram anteriormente, mas muitas pessoas ainda não conhecem toda a variedade de seus itens vendidos lá fora (https://favodefel.wordpress.com/2015/08/27/korres-de-volta-nas-prateleiras-por-aqui/);

😦 A Eudora parece querer minguar: o Grupo O Boticário pretende, ao meu ver, permanecer com a Eudora apenas para venda direta ou pela internet, já que as super escassas lojas físicas foram fechadas (https://favodefel.wordpress.com/2015/02/15/eudora-soul-radar-rio/);

😦 O Boticário: A linha Nativa Spa fica mais confusa e a indecisão sobre sua permanência é questionada entre alguns vendedores e consumidores, já que a rotatividade de fragrâncias e opções vem diminuindo. Até pela internet o campo de busca para produtos desta linha são falhos e não parece ter toda aquela exclusividade para a Nativa Spa via e-commerce como se sustentava antes.

NativaSPA thermal.jpgApenas para complementar, as lojas físicas de produtos somente da Nativa Spa não emplacavam, talvez por conta da falta de publicidades mais ostensivas.

De comerciais, O Boticário prefere investir em aumentar os preços de seus perfumes para depois oferecer entre 20 e 30% de desconto em perfumaria, via de regra.

Bom que inovou em produzir água termal que suas concorrentes mais próximas não possuem. Ainda não testei, mas pretendo (https://favodefel.wordpress.com/2015/03/23/o-que-voce-gostaria-que-voltasse-de-cosmeticos/);

😦 Empresas não acompanharam o espaço masculino: uma barba bem desenhada e preenchida foi a sensação ao público varonil em 2015 e, para isso, os cuidados com o barbear também se intensificam, mas as empresas, inclusive de dermocosméticos não dispõe de variedade do pé ao pós barbear.

http://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/moda-e-beleza/as-barbas-mantem-o-reinado-em-2015/

😦 A Natura também sentiu os efeitos da crise econômica, pois, embora causara impacto com os produtos de manteiga de ucuúba e comercial com lenços de limpeza dupla face pela blogueira Camila Coelho, as vendas registraram quedas, tendo de se socorrer ao projeto de inaugurar lojas físicas já no primeiro semestre de 2016 (http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/natura-confirma-que-vai-abrir-10-lojas-proprias-em-2016), já que restou anunciado que a Natura deva registrar melhoras apenas no 2º semestre deste ano (http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/vendas-da-natura-so-devem-crescer-no-2o-semestre-de-2016).

Francamente terá trabalho para estancar o sistema de pronta entrega com descontos que se vê por aí. Já ocorreu algo parecido com as chamadas Casa Natura que não perdurou por muito tempo, mesmo numa região nobre de São Paulo.

Seus preços também vem aumentado consideravelmente, já que muita matéria-prima é “tupiniquim” e com muito natura ucuuba.jpgorgulho.

E se preparem que este ano tudo será reajustado com o aumento de alíquotas e manobras que nada favorecem a nós, reles contribuintes e, claro, os cosméticos estão sendo atingidos e em cheio.

Mais: http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/09/outras-medidas-podem-ser-tomadas-diz-nelson-barbosa-sobre-tributos.html

http://www.campograndenews.com.br/economia/-entra-em-vigor-aumento-de-imposto-sobre-bebidas-cigarros-e-computadores

Confira outros produtos em 2015: http://chic.uol.com.br/beleza/noticia/novidades-de-beleza-veja-as-maquiagens-e-cosmeticos-que-chegaram-ao-mercado-em-fevereiro-de-2015

http://mulher.uol.com.br/beleza/album/2015/08/01/ve-dos-principais-lancamentos-de-beleza-de-agosto.htm#fotoNav=91

http://belezaesaude.com/novidades-cosmeticos-05-15/

 

Anúncios