Rock In Rio (RIR) 2015

Rock in Rio: 30 anos de festival (Foto: Divulgação/Raul Aragão)

http://g1.globo.com / foto: Raul Aragão

O evento de sete dias, divididos em dois finais de semana acabou e, o que você achou?

Nesta edição de comemoração dos 30 anos deste Festival e que, inclusive, passou a ser internacional, foi possível notar um pouco de cada passagem de artistas que marcaram presença em todas as edições, mesmo que faltando algumas outras peças chaves, como Ozzy e Iron Maiden, em minha opinião, é claro.

Alguns outros pontos traumáticos parecem ter sido poupados de revival. Como não lembrar do playback de Britney Spears, as exigências de Axl Rose, as vaias para Carlinhos Brown e Sandy & Junior, onde a produção do evento só faltou colocá-los no mesmo dia de Sepultura, Halford e Maiden – era o que faltava)?

Mas acho que a maior expectativa mesmo era a apresentação do Queen, vez que a edição do RIR de 85 é até hoje uma das mais marcantes na história de shows no Brasil e também na trajetória da história do Queen, principalmente na homenagem de Freddie Mercury ao aparecer envolto da bandeira do Reino Unido e do Brasil juntas, enquanto cantava o hit We Will Rock You e o coro emocionado de Love Of My Life (praticamente um hino para este festival) que deixa a banda impressionada até hoje.

Assim, em consideração a tudo isso, o Queen retornou parecendo agradar a todos com a performance acertada de Adam Lambert que, mesmo sob elogios, a banda preferiu repetir a canção mais aguardada por todos, cantada somente por Brian May no violão e mais próximo do público.

O set list foi bem engajado e englobou os principais sucessos da banda, incluindo Who Wants To Live Forever (amo esta música e já me dá aquela vontade de assistir Highlander rsrsrs), que é uma das preferidas de Lambert e The Show Must Go On que Freddie nunca tivera a oportunidade de cantar nos shows. Lambert aproveitara para cantar suas próprias músicas, justamente para não vincular sua imagem como intenção de substituir Freddie Mercury.

O grupo OneRepublic, que tivera o privilégio de tocar no 1º dia de evento e antecedendo a apresentação do Queen, também agradou o público com reiterados agradecimentos, embora a banda ainda não tenha muito tempo de estrada para fazer setlist bem encorpado, onde agregara covers para engordar seu repertório.

E assim se seguiu os demais dias de RIR: Palco Mundo com as atrações mais pesadas ou de músicos mais renomados; o Palco Sunset, com apresentações de grandes nomes da música, porém de menor impacto e assim sucessivamente.

Mas, como de Rock mesmo o RIR não tem quase nada, quando comparado com muito outros eventos deste gênero (Wacken Open Air, Monsters Of Rock e até os já falecidos Dynamo e Ozzyfest); a maior expectativa ficou mesmo ao encargo do Metallica, trazendo fãs ao palco e o um show de “aposentadoria” da clássica banda de hard rock Mötley Crüe.

E tanto é que o RIR não suporta evento mais pesado que fora responsável pela falha de som durante o show do Metallica, uma tremenda falta de respeito, talvez a maior patacoada do RIR nesta edição, também ocorrida na apresentação de Ultraje a Rigor e Erasmo Carlos.

O evento mais romântico foi marcado pelas principais atrações do dia 20, com Seal, Elton John e Rod Stewart.

Houvera ainda, já nesta última semana, um frenesi com a apresentação de Johnny Depp aos palcos, com sua banda Holywood Vampires. Quem não sabe, Depp é um roqueiro assumido, que já tocou com várias bandas em parceria, sendo até amicíssimo de Keith Richards (guitarrista do The Rolling Stones).

Isso sem contar no ato filantrópico de Depp, também financiada por bandas de rock, em colocar aparelhos auditivos para crianças carentes para que pudessem ouvir os sons da banda.

Queens Of The Stone Age se apresentaram em seguida, mas sem ninguém detido por nudez rsrsrs e pela banda ridiculamente desesperadora System Of A Down. Uma das piores bandas de new metal que já vi.

Dia 26: Sam Smith, tão aclamado ultimamente, que anda colecionando Grammy, cantou muito bem, mesmo após operação nas cordas vocais, fazendo uma belíssima apresentação, ao contrário de Rihanna que abusou do playback, quando não deixava o pública cantar praticamente tudo em seu lugar.

Mais pop, colorido e dançante ficou por último, principalmente com uma das atrações mais esperadas: A-HA, que também marcou presença mesmo sob chuva (bem condizente com suas músicas rsrsrs), além de seu mais famoso hit, Take On Me, também completar 30 anos. Antes, houvera a apresentação do duo AlunaGeorge, que enfrentou muito bem a chuva e agradou o público. Mas a atração mais aguardada do reduto adolescente era mesmo para Kate Perry, num espetáculo literalmente bem animado.

Pena que Roberto Medina, idealizador do RIR, não conseguiu fechar com uma das tão aguardadas bandas para esta edição: o AC/DC

Confira outros momentos:

Line-Up RIR: http://rockinrio.com/rio/line-up/

Mais em: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/09/queen-volta-ao-rock-rio-e-lembra-show-de-85-inesquecivel.html

http://www.oreporter.com/Set-list-Queen-fecha-Rock-in-Rio-com-We-are-the-Champions,13778398970.htm

http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-116208/

http://rollingstone.uol.com.br/noticia/rock-rio-ha-faz-show-com-hits-e-lagrimas/#imagem0

http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/katy-perry-encerra-rock-in-rio-com-show-visual-e-energetico

http://whiplash.net/materias/news_799/230596-acdc.html

http://veja.abril.com.br/noticia/entretenimento/irreverente-ultraje-a-rigor-faz-protesto-com-humor-no-rock-in-rio/

Anúncios