Dilma na Rússia. Buscando reforço de parceria ou camaradagem?

Não pertenço nenhum um pouco à oposição, pois não adoto partido e sim propostas honestas, eficazes, de acordo com o que a população realmente necessita. Parece muito óbvio né, mas quando se fala de Brasil, já sabemos que não é tão simples assim.

Porém, nem por isso terei de fazer um alerta, pois acho que se todos os brasileiros já foram informados, devem ter se esquecido, já que não é possível que somente eu possa ter percebido isto.

Respondi a uma TAG recentemente sobre as coisas que eu Odeio e nela elenquei o comunismo medíocre.

Pois bem. Sabemos que o Partido dos Trabalhadores (PT) finge aderir a uma postura comunista, baseada em distribuição proporcional de riquezas (grosso modo). Sabemos também que é uma falácia muuuuito grande para quem consegue chegar ao poder da forma tão vergonhosa como nossa Presidente, embora o pior sabor esteja sendo “degustado” por nós…

O cardápio é vasto: abacaxi inteiro com casca e tudo, abobrinhas que não faltam em discursos mentirosos. Ah, claro, e a MANDIOCA que estamos tendo de digerir goela abaixo da população brasileira, pra não dizer em outro lugar, com todo e o devido respeito.

Aí eu lhes pergunto: O que Dilma possa ter ido realmente fazer na Rússia?

Eu respondo no que acredito: Sondar o Presidente Vladimir Putin, que de santo não tem nada, sobre como consegue ficar tanto tempo no poder e ainda conseguir amansar sua nação, já que nossa “governanta” que governa apenas o que for conveniente mascarar de seu partido, tem preparado uma “tática anti-impeachment”, ou seja, mais um calem-a-boca-brasileiros-porque- quem-manda-aqui-sou-eu-e-por-conta-disso-tornarei-a-vida-de-vocês-mais-difíceis.

Observem que: o primeiro mandato de Putin foi de 2000 a 2004. Foi reeleito, com mandato de 2004 a 2008. Após, Dmitri Medvedev (olha só que coincidência – era uma espécie de primeiro-ministro na gestão de Putin) deu continuação à postura presidencial de Putin (troca-troca), duvido que ele não era realmente quem comandava o país por meio de seu colega político então eleito).

Em seu mandato, de 2008 a 2012, Medvedev conseguiu implantar um novo tempo de mandato, passando de quatro para seis anos, que começaria a valer nas próximas eleições. Ehhhhh e adivinhem… Vocês se lembram? Deu o maior rebu quando Vladimir Putin foi novamente eleito (opa!), já que boa parte dos russos contestava o resultado da eleição.

Putin seguirá com seu mandato até 2018 e Medvedev o acompanha novamente como “primeiro-ministro” que lá é chamado de Presidente do Governo, segundo funcionário público mais poderoso no país, abaixo de Putin.

Entenderam onde quero chegar? Substituam Putin e Medvedev por Lula e Dilma.

Dilma: Infelizmente ou não, NÓS NÃO SOMOS RÚSSIA! Lá eles não tiveram Impeachment e aqui, sim.

Anúncios