Não somos todos macacos. Diga não ao preconceito!

Uns preferem morrer ao ver o preto vencer” (Criolo)

Os negros no Brasil nascem proibidos de ser inteligentes” (Paulo Freire)

Foto: Paulo Campos / www.gazetapress.com.br

Foto: Paulo Campos / http://www.gazetapress.com.br

Como se já não bastasse as recorrentes e escrachados casos de discriminação racial presenciados no futebol, principalmente entre jogadores brasileiros, agora chega mais essa à ginástica: a lamentável cena de preconceito e tentativa de inferiorizar nossa nova estrela – o atleta Ângelo Assumpção.

O mais repugnante e idiota disso tudo é saber que toda a prática racista partiu de pseudo colegas de equipe, mas não é difícil entender o porquê de terem feito tal ato, senão utilizar o preconceito para mascarar outro desvio de caráter, qual seja, de causar tamanho desconforto e complexo de inferioridade à vítima para que esta se desestabilizasse de seu ótimo desempenho, vislumbrado como grande promessa de medalha de ouro em nossa Olimpíada.

E isso serve de lição aos veteranos que nem chega aos pés do rendimento que Assumpção vem calcando. Show de humildade que o Diego Hypólito não tivera, pois vestido de camada de desdém, já evitara tirar uma foto sequer com seu fã, mas Assumpção conseguiu e sabe como: logo após o pódio, Hypólito com o bronze e Assumpção com o ouro.

E pensar que na reportagem supra, transmitida no programa televisivo Globo Esporte, Assumpção já revelava as marcas deixadas pelos preconceitos que sofria e, dias após, veio o vazamento deste vídeo na mídia:

Pior, Hypólito ainda saiu em defesa dos atletas acusados, ante o ocorrido não ter passado de uma “infeliz atitude”. Infelicidade é termos de suportar calados tantas formas discriminatórias como uma normalidade. Hoje você é facilmente desprezado ou até mesmo banido na sociedade porque é magro, gordo, rico, pobre, branco, negro, cadeirante, autista, eclético, católico, espírita, evangélico, homossexual, alto, baixo, porque se veste bem, porque se veste mal… Tudo é motivo para ser ridicularizado e todas estas ofensas vão ganhando proporções mais infames desde a infância, quando pais despreparados não impõem limites aos filhos e não os educa, porque são tão desrespeitosos quanto sua prole.

É… O mundo dá voltas mesmo e eu adorei isso! Às vezes as pessoas precisam aprender lições de empatia da pior forma.

Enfim, é a mais pura inveja, prepotência e despeito transparecendo àqueles que gostariam de ser o “centro das atenções” e não os são a começar pelo comportamento que quase geraram o banimento destes no esporte.

E sinceramente… Era isso o que eu esperava. Ora, se um sujeito, colega de equipe que convive com as dificuldades de seu parceiro e que deveria complementar o desemprenho naquele grupo, faz renegar todo voto de confiança, credibilidade e companheirismo, é porque só faz provar a deficiência de boa conduta, mostrando suficientemente que este tipo de atleta não leva a sério sua carreira profissional, podendo muito bem passar por cima de todas as coisas e quebrar regras para conseguir desvantajosa vitória sobre os demais competidores. Só não acompanha isto quem não quer enxergar a verdade.

E não adianta se desculpar como forma de retratação formal para se livrar de quaisquer sanções na esfera desportiva, criminal e/ou cível.

Racismo não é Bullying. É muito mais que isso e precisa ser duramente combatido para que a Lei nº 7.716/89, assim como diversos outros dispositivos legais não seja letra morta em nossa legislação.

Engraçado que o treinador dissera que seus pupilos não são racistas, porém defendeu a punição que sofreram. Uai… Se não fossem racistas, então injusta seria a punição que defendeu. Paradoxal, não é mesmo?!

Não fico com dó ou pena do Ângelo Assumpção, mas reservo tais sentimentos aos agressores, porque dó e pena se guardam para os fracos, pois pobres de espírito que são, assim como qualquer outra pessoa que se subterfuja de tais comportamentos.

Respeito, educação e empatia – o mínimo que se espera, já que são lições tão básicas que devem ser aprendidas desde o início de nossas vidas até o fim. São valores que nunca devem se perder ou esquecer.

E só para relembrar: ainda acho que o melhor gesto de repúdia ao preconceito foi quando o jogador Daniel Alves, num jogo que defendia seu atual time, Barcelona, engoliu uma banana inteira que lhe foi jogada no campo, como forma de lhe agredirem de “macaco”.

Foi um ato de tamanha raiva e revolta que o resultado não poderia ter sido melhor: seu lance contribuiu com o gol que garantiu a vitória de seu time naquela partida.

Por isso Ângelo, não desanime… É nestas horas que superamos nossos obstáculos e derrotamos aqueles com declínio já escrito.

E também não esqueci do fatídico caso daquela gremista agredindo o goleiro Aranha de “macaco”.

“Macaco” deve ser dirigido àquelas pessoas que possuem pensamentos primitivos, que não quer evoluir, que não sabe conviver num mundo diversificado como deve ser, ou seja, um verdadeiro troglodita, um Australopithecus. Talvez o xingamento “macaco” sirva melhor nestas pessoas. Portanto, não sejamos macacos!

De trilha sonora, destacarei a música Sucrilhos, com trecho também destacado no início do post porque retrata perfeitamente a nossa realidade que espero que seja extirpada.

Sucrilhos, por Criolo (extraído do site http://www.letras.mus.br):

Calçada pra favela, avenida pra carro,
céu pra avião, e pro morro descaso.
Cientista social, Casas Bahia e tragédia,
Gostam de favelado mais que Nutella
Quanto mais ópio você vai querer?
Uns preferem morrer ao ver o preto vencer
É papel alumínio todo amassado,
Esquenta não mãe é só uma cabeça de alho…
Cartola virá que eu vi,
Tão lindo e forte e belo como Muhammad Ali
Cantar rap nunca foi pra homem fraco
Saber a hora de parar é pra homem sábio
Rico quer levar uma com nóis, ‘cê que sabe…
Quero ver pagar de loco lá em Abu Dhabi.
Eu sou nota 5 e sem provoca alarde,
Nota 10 é Dina Di DJ Primo e Sabotage.

Pode colar, mas sem arrastar,
Se arrastar, a favela vai cobrar…
Acostumado com sucrilhos no prato,
Morango só é bom com a preta de lado.

O planeta jaz e a trombeta do Satanás,
Usain Bolt se não correr fica pra trás
Querer tapar o sol com a peneira é feio demais
E cocaína desgraça a vida de um bom rapaz…
Trilha Sonora do Gueto, Rappin Hood e Facção,
Fazem o povo cantar com emoção
Zona Sul… Haja coração!
Dez mil pessoas numa favela, na quermesse do Campão,
Então Di Cavalcanti, Oiticica e Frida Kahlo
Têm o mesmo valor que a benzedeira do bairro
Disse que não ali o recém formado entende,
Não vou espera você ficar doente…
Cantar rap nunca foi pra homem fraco
Saber a hora de parar é pra homem sábio…
Vacilou no jab, fio, é lona!
Criolo Doido não é garapa,
A ideia é rapida mais soma.

Pode colar, mas sem arrastar,
Se arrastar, a favela vai cobrar…
Acostumado com sucrilhos no prato,
Morango só é bom com a preta de lado.

Eu tenho orgulho da minha cor,
Do meu cabelo e do meu nariz.
Sou assim e sou feliz.
Índio, caboclo, cafuso, criolo! Sou brasileiro!

Mais em: http://www.otempo.com.br/superfc/diego-hypolito-defende-ginastas-e-diz-que-ato-foi-infeliz-atitude-1.1040385

http://www.acessebahia.com.br/diego-paga-divida-com-angelo-e-rivais-comemoram-podio-com-selfie/

http://www1.folha.uol.com.br/esporte/2015/05/1630916-tecnico-da-selecao-diz-que-ginastas-nao-sao-racistas-mas-defende-punicao.shtml

http://oglobo.globo.com/esportes/setores-da-sociedade-condenam-injurias-raciais-de-ginastas-ao-colega-negro-angelo-assumpcao-16178344

Anúncios