Marta Suplicy: mais uma estrela cadente?!

Em matéria publicada pela revista Veja (Edição 2423 / Ano 48 / nº 17), veiculada na semana passada, Marta Suplicy

Foto de Luiz Maximiano para Revista Veja (Ed. Abril), edição 2423, ano 48, nº 17, p. 17

Foto de Luiz Maximiano para Revista Veja (Ed. Abril), edição 2423, ano 48, nº 17, p. 17

concedera entrevista para reforçar algo que já era nítido: seu descontentamento com o Partido dos Trabalhadores (PT) que se vinculara há mais de trinta anos.

Sua saída, que já vinha sendo pressionada por ela mesma há alguns meses chegou ao estopim, mas não fora motivada por mais um escandaloso, vergonhoso e altamente criminoso esquema de corrupção, expertise típica deste partido político… Aliás, de qualquer partido quando se fala de Brasil, não é mesmo?! A única diferença é que, para o PT, é sem precedentes os atos de disfarçar a ganância pelo dinheiro e poder, sendo tudo feito de forma ardilosa e, ao mesmo tempo, escancarada.

Exemplo disso é que alguns militantes fervorosos do PT, já envolvidos na corrupção do Mensalão, também são tratados como suspeitos na corrupção vulgarmente denominada Petrolão, tais como Antônio Palocci e José Dirceu. Isso sem contar no frenesi de se atribuir qualquer envolvimento que seja ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a então presidente Dilma Rousseff.

Ah… Isso sem contar no envolvimento de Fernando Collor, aquele primeiro presidente a sofrer um Impeachment no Brasil.

Quem é o maior culpado disso tudo? Ora, quem figura como vítima: A própria população brasileira, em especial à porcentagem de trouxas que sabem desta chaga em nossa história e em nossa economia e, mesmo assim, elege uma pessoa como esta para exercer qualquer função pública que seja.

Sim, porque como bem expressou João Ubaldo Ribeiro: “O sujeito vai lá, tapa o nariz e vota”.

É importantíssimo ressaltar que o afastamento de direitos políticos por qualquer fração de tempo nunca será suficiente para mudar o caráter de alguém, pouco importando a sua idade, pois, como já dizia Rui Barbosa: “Não se deixem enganar pelos cabelos brancos, pois os canalhas também envelhecem”.

Marta dera como justificativa de sua saída o fato de ver que o partido pelo qual defendia teria se desviado de seus princípios, na proteção de direitos trabalhistas e do trabalhador, bem como de não ter suportado mais um envolvimento do partido em outro caso de corrupção, além da amargura de experimentar total desprezo para que o PT a lançasse como candidata a cargos importantes em São Paulo, como sua volta à Prefeitura ou como candidata ao Governo.

Ora, como paulistana fervorosa que sou, tenho de concluir que a maior motivação para sua saída do PT, além de midiática, para restaurar e popularizar sua imagem como amante por São Paulo, fora também de extrema decepção e frustração, atrelados aos sentimentos de ira e vingança ao partido, uma espécie de aviso de que a partir de agora, o PT preferiu perder uma aliada para ganhar uma opositora, principalmente por já ter conhecido o partido que ajudou a disseminar.

Uma forma de expressar aqueles ditados populares de que quem não dá assistência, abre concorrência ou de que seu melhor amigo de hoje pode se tornar seu maior inimigo de amanhã.

Afinal, não é a primeira vez que políticos saem do PT para traçar a carreira política com mais exaltações, tal como vemos atualmente com Marina Silva.

Adorei suas críticas ao então prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, com a medíocre visão dele de que a ciclovia seja a solução para o caos da cidade, já que São Paulo não vive como Holanda, né… Embora eu concorde com o espaço e segurança que os ciclistas devam ter. Mas, e o restante da população para teria de pedalar e pedalar e pedalar para chegar a algum lugar? E os pedestres que continuam sendo desrespeitados?

Bom, a conclusão é de que não adianta criticar a gestão atual, se falhara drasticamente como prefeita por aqui também.

Ambos têm a cara do PT: investem demasiado em obras superficiais. Só uma maquiagem para engabelar seus eleitores. Aquela mania de embelezar o aspecto horrível e empobrecido de uma cidade que já não está com tanto potencial assim para movimentar o país.

De um lado, tínhamos uma prefeita (a própria Marta Suplicy) que, no caos de constantes enchentes, queria “tocar” seu plano de plantar coqueiros pela cidade (não dando preferência a outras medidas mais emergenciais). De outro lado, nosso então prefeito pintando faixas nas ruas para valorizar um tipo de transporte individual, muitas vezes em vias já estreitas e no mesmo lado onde trafegam ônibus.

Não seria melhor termos mais ônibus, para transportar mais pessoas numa única só vez e melhorar o tempo de espera? Termos qualidade no transporte (incluindo acessibilidade, conforto etc) para que mais pessoas possam do ônibus se utilizar e abandonar a quantidade de carros nas ruas? De fiscalizar a eficiência de empresas de ônibus com aplicação de efetiva punição?

Tudo “só para inglês ver”.

O PT gosta de mexer no LIXO. Enquanto prefeita, ainda aliada ao PT, Marta Suplicy instituiu em Sampa a taxa de lixo que, obviamente fora julgada inconstitucional.

Haddad, por sua vez, propiciou uma novela interminável sobre a restrição na distribuição de sacolas plásticas em supermercados (uma para lixo orgânico e outra para reciclável), sob pena de multa aos cidadãos que descumprirem tais seleções de lixo, como se tal serviço pudesse ser fiscalizado de forma individualizada… O mesmo aspecto que inviabilizou a aplicação da taxa de lixo.

Enfim, soluções infames para uma cidade que necessita de melhoras.

Portanto, digo isso por mim, sua mudança estratégica de partido não será suficiente para “seduzir” um voto. Credibilidade é muito mais que isso.

Todas as notícias de uma gestão ruim merecem, sim, de maiores minúcias. “A função de denunciar os crimes públicos não é uma faculdade: é um encargo” (Rui Barbosa).

Finalizando, convém destacar uma frase dita pelo músico e, olha só a ironia, também petista Chico Buarque de Hollanda: “As pessoas têm medo das mudanças… Eu tenho medo de que as coisas nunca mudem”.

Estrela cadente num partido decadente: Façam já os seus pedidos de mudança para um país melhor. Estudem e estudem muito, respeitem, cobrem, fiscalizem, revoltem-se. Se for para cair algo, melhor que seja uma estrela que meteoros.

Vejam a entrevista na íntegra:

Entrevista Marta Suplicy – O PT traiu os brasileiros

Anúncios