Picasso e a Modernidade Espanhola – Eu visitei

IMG_2810

Sou admiradora do movimento artístico das chamadas vanguardas europeias e, em especial, das artes cubistas.

E quando se fala em cubismo, não há como não deixar de lembrar Pablo Picasso.

Disposta nos 4 andares do edifício do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a mostra em epígrafe, traz um apanhado geral da carreira do mais renomado pintor cubista, com obras consideráveis pré e pós Guernica, nome da cidade espanhola devastada durante a guerra civil ocorrida em 1937.

Para tornar mais caliente a fome cultural dos visitantes, a mostra conta com obras expostas de outros pintores espanhóis cubistas e até surrealistas, tal como Salvador Dalí dentre muitos outros.

Outras obras que prometo comentar no Favo são Os cegos músicos, de Daniel Vazquez Diaz e O violino, de Juan Grís.

Por ora, destaco, obviamente, a obra Guernica de Picasso: https://favodefel.wordpress.com/2015/04/27/guernica-guerra-na-pintura-e-na-poesia/

Impressionante como é intrínseca a tristeza, inconformismo e medo sentido pelo artista que, reverteu o “quadro” para transformar o evento histórico em algo bom e cultural que a pintura nos traz; tornar uma marca ruim de sua época para “admiração” futura.

Assim, um dos destaques de sua GRANDE obra (Guernica), no sentido literal da palavra, vez que a pintura original mede 350 x 782 cm, retrata um animal pelo qual possui muita afeição, de significados fortes: o Minotauro ou, por vezes, o touro para representar a bestialidade humana, como uma espécie de reflexo no espelho que poderíamos projetar quando dominados por personalidades e ideais ruins, do gosto pela destruição da própria humanidade. Um sentimento difícil de ser domado, o agir pelo impulso, o uso da força desmedida – o verdadeiro caos.

Aliás, este não é o único artista a pintar esta figura mitológica. Laerte Coutinho já simbolizou muito bem o Minotauro em seus desenhos, com direito a destaque na mostra “Ocupação Laerte”, que estivera em exposição no Instituto Itaú Cultural (SP) no final do ano passado.

Assim, muito me chamou atenção a obra de Picasso intitulada Minotauro cego guiado por uma menina à noite que, hoje se
IMG_2809 analisando com todo o repertório de suas obras, incluindo Guernica, parece representar o término de conflitos, a derrota que não se quer admitir (pois o Minotauro já está cego) ou a sensibilidade de se deixar conduzir por uma figura feminina. A menina que o conduz transparece a inocência, as mãos livres de armas, o futuro, o sentimento e o agir maduro que muitas crianças possuem.

Esta criança que caminha com o Minotauro, já dependente de seu auxílio, segura uma pomba, símbolo universal da paz e do Espírito Santo.

IMG_2808 Em O pintor e a modelo (de 1963), Picasso propõe aos observadores a captação da delicadeza e concentração que um pintor tem ao reproduzir a imagem de uma modelo, como uma forma de nos aproximarmos de um momento de intimidade, de sentimento conjunto da pintura.

Em O pintor e a modelo II, Picasso estende a dimensão artística para revelar que, enquanto capta todos os detalhes da modelo, consegue ainda sentir a presença de quem também o observa, como uma sombra e um olho complementar.

Voltando à Guernica, vale ressaltar que a obra foi elaborada em praticamente um mês, logo após os ataques aéreos na cidade, muito bem abordadas na filmagem disposta no 1º andar do CCBB.

Um dos esboços para Guernica que me detiveram por mais tempo apreciando foram a cabeça do cavalo (de 02/05/1937) e a Cabeça que chora II (de 28/05/1937), com destaque aos olhos do homem que mais parece um protozoários, ou seja, com a visão contaminada de cólera, como sentimento.

A exposição foi organizada e realizada em colaboração com o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía e a Fundación Mapfre, com a curadoria de Eugenio Carmona.

A mostra ficará aberta à visitação até 08/06/2015.

Endereço do CCBB: Rua Álvares Penteado, nº 112, Centro de São Paulo – SP / Tel: (11) 3113-3651.

Horários: De 4ª a 2ª, das 09:00 às 21:00.

******** Dica: Se puder, evite filas nos finais de semana, já que a entrada é franca em todos os dias.

****** Outra dica é desfrutar da variedade de cafés do próprio CCBB e na área externa. É uma delícia.

20150413_170851 20150413_170912-1

***** Durante a visitação, aproveite para desfrutar da arquitetura do CCBB.

Para a visitação, fiz questão de usar o lenço da fashion designer Paloma Picasso, filha caçula do pintor:

IMG_2734

Anúncios