Pequena Miss Sunshine

“O verdadeiro fracassado não é alguém que não vence. O verdadeiro fracassado é aquele que tem tanto medo de não vencer que não chega nem a tentar”.

She’s a super freak, super freak!” (Rick James)

Não permita se deixar influenciar pelos “rótulos alheios”. Cada pessoa tem o seu brilho, a sua desenvoltura, o seu jeito de agir e pensar.

Óbvio que isso deve ser trabalhado desde a infância, onde desenvolvemos nossos maiores “complexos”, com diversos comparativos e críticas sobre nós mesmos.

Tudo isso, mesmo sabendo que a perfeição é, definitivamente, inexistente.

O que não é talentoso pode ser exercitado para que assim o seja e o maior passo é pensar que o fracasso está no ato de se acovardar de qualquer vontade ou ideal, ainda que não atenda ao perfil esperado pelos outros e tornar um momento ruim em algo mais descontraído, a ponto de trazer boas recordações no futuro.

As pessoas acham o seu comportamento ridículo? Então ridicularize os “ridicularizadores” e aprecie o seu momento.

Essa é praticamente a mensagem passada no filme Pequena Miss Sunshine, uma comédia trágica de personagens que falham em suas expectativas emocionais, transferindo esta carga a uma menina que, mesmo não possuindo as exigências forçadas de beleza de outras meninas de sua idade e sem dotes específicos, participa de um concurso interiorizado no seu sonho de ser uma miss mirim.

É simplesmente engraçadérrimo, ainda mais com as cenas da buzina disparada da Kombi (incluindo a abordagem policial) e, óbvio, a apresentação da garotinha Olive no evento que tanto desejou participar.

Ainda que cômico, o filme alerta os pais a tratarem seus filhos como crianças, incentivando os momentos típicos da infância e não as tornando em algo artificial, impondo atividades exaustivas para suprirem a vontade ou o ego de seus pais pelo destaque que gostariam de ter tido quando mais jovens.

O DVD ainda conta com vários finais alternativos e, claro, todos cômicos.

Enfim, não tem como se esquecer de comentar este filme.

Confira o trailer:

Ficha Técnica:

Sinopse: Richard (Greg Kinnear), o pai, tenta desesperadamente vender seu programa motivacional para atingir o sucesso… Sem sucesso. Enquanto isso, Sheryl (Toni Collette), a mãe a favor da honestidade plena, tenta entrosar sua excêntrica família, incluindo seu deprimido irmão (Steve Carell), que acaba de sair do hospital após ser abandonado por seu namorado. Temos ainda a ala jovem da família Hoover: Oliver (Abigail Breslin), com 7 anos de idade e aspirante a rainha de concurso de beleza, e Dwayne (Paul Dano), um adolescente que lê Nietzsche e fez um voto de silêncio. Para completar a família, temos o desbocado avô (Alan Arkin), cujo comportamento maluco fez com que recentemente fosse expulso do asilo de idosos.

Quando Olive é convidada a participar do concurso de beleza “Little Miss Sunshine” na distante Califórnia, toda a família parte em uma velha Kombi para torcer por ela… E o resultado desse apoio é simplesmente hilário.

Título Original: “Little Miss Sunshine”.

Diretor: Jonathan Dayton e Valerie Faris.

Produção: Marc Turtletaub, David T. Friendly, Peter Saraf, Albert Berger e Ron Yerxa

Distribuição: Fox Searchlight Pictures.

Gênero: Comédia.

Elenco: Greg Kinnear, Steve Carell, Toni Collette, Paul Dano, Abigail Breslin, Allan Arkin.

Lançamento: 26/07/2006.

Música: Mychael Danna.

Figurino: Nancy Steiner.

Fotografia: Tim Suhrstedt.

Desenho de Produção: Kalina Ivanov.

Duração: 102 min.

Classificação: 14 anos.

Outros: Vencedor do Oscar de 2007 e BAFTA (Grã-Bretanha) 2007 – Melhor ator coadjuvante para Alan Arkin e melhor roteiro original para Michael Arndt;

Vencedor do Screen Actors Guild Awards de 2007 – Melhor Elenco;

Vencedor do Independent Spirit Awards 2007 – Melhor Filme Independente, Melhor Direção, Melhor Ator Coadjuvante para Alan Arkin e Melhor Roteiro Original;

Vencedor do MTV Movie Awards 2007 – Melhor Revelação para Abigail Breslin e

Vencedor do César (França) 2007 – Melhor Filme Estrangeiro.

Comprei o filme em 2013, na Lojas Americanas por R$ 14,90.

Anúncios