O que as pessoas esperam de você?

Não, isso não é um artigo de autoajuda é, pois, uma nota de verdade desabafada e do sincericídio que me acomete dia após dia. O principal sintoma? A hipocrisia, inveja e ganância alheia. Por isso, acho que nunca me sentirei curada.

Sabe aquela sensação de estar rodeada por pessoas que não desejam o teu sucesso e que sugam suas energias? Então vão por mim, vampiros existem, isso sem contar aqueles sanguessugas do Planalto Central, né.

Já avistei muitos olhos arregalados de inconformismo quando você diz ter conseguido algo; de terem pessoas que te acompanharam desde a infância, propondo passeios inocentes aos finais de semana para tentarem atrapalhar o seu ritmo e concentração nos estudos de provas importantíssimas que, com muito esforço e competência você é aprovada. Depois, rodeiam você tão somente para saber se conseguira ou não e, desconcertado com a vitória, se esquecem de pelo menos lhe desejar os parabéns ou fingir uma declaração do tipo: “você merecia!”.

Daqueles que jamais terão a coragem de te revelar uma verdade ou de lhe dizer coisas que não seja pelas costas, com medo de ouvir a réplica; de exigirem mais sobre você, justamente por saber que assim te destruirá; de discordar de você sobre qualquer assunto; de fazer comparações infames; de suspirar aliviado ao saber que você também têm problemas ou passa por dificuldades; de lhe fazer caridades somente para se vangloriar aos demais; de te desprezar e negar sua amizade achando que você esquecerá facilmente disso etc, etc, etc.

E pessoa mordida por você ter feito um blog antes dela? Até isso tenho presenciado e, ao mesmo tempo, agradecer de poder contar com pessoas que nunca conhecera pessoalmente e te seguir ou fazer comentários em sua página, de recomendar aos demais colegas da cadeia blogueira quando se esperava que pessoas próximas pudessem fazer o mesmo, mas não o faz por desdém e para não te incentivar. Acho lamentável, tenho de ter misericórdia sobre mesquinhos comportamentos.

Sinceramente desisti de traçar um perfil de pessoa correta, com pudores para falar o que esperam ouvir ou de me comportar de forma estereotipada, com vestes da ignorância que tentam jogar sobre você.

EU já não espero mais nada de ninguém, quem brindar do mesmo posicionamento será bem-vindo e os que tiverem personalidade própria e posicionamentos contrários, desde que construtivos também os serão, mas decidi levar minha vida como ela me oferecer. Se tiver que aproveitar uma oportunidade, aproveitarei mesmo que seja a contragosto de todos.

É impressionante como eu vejo pessoas próximas a mim que não suportam qualquer tentativa minha de ser feliz e de não quererem participar de qualquer projeto que eu possa desenvolver… De gerar algo lucrativo, não apenas de dinheiro, mas de satisfação e concretização de algo.

Eu mesma tenho pessoas muuuiiito próximas que são sabotadoras de ideais. Tudo o que faço ou o que penso é motivo para se entortar o nariz, a não ser que isso possa render muito dinheiro ou que o seu ofício, do qual tira sua sobrevivência, seja prestado “na faixa”, já que por camaradagem não se deveria cobrar um tostão e no final mal receber um “muito obrigado”.

Hoje, meço tudo antes de tomar alguma medida para alguém. O que a pessoa é para mim? O que já fez por mim? Até onde tem acompanhado os meus passos? Até que ponto ela me valoriza? De que modo ela já possa ter expressado um sentimento bom e explícito para mim? Foi verdadeiro ou já baseado em segundas intenções? Se todas as respostas me forem negativas, infelizmente não poderei fazer nada por ela.

Na vida, acho que tudo é baseado na troca saudável, sem visar interesses, calcado no companheirismo… O que creio ser muito difícil nos dias atuais. Por isso, tenho observado os atos de cada um antes de considerar alguém. O problema é que nos meus testes as pessoas são sempre reprovadas.

A resposta para a frase do título? É NADA.  Se a pessoa é frustrada somente desejará que você também se frustre para que ela se sobressaia sob a sua carnificina ainda viva. Um exemplo crasso disso e eu duvido muito que ninguém tenha presenciado é quando uma pessoa gananciosa e sem talento se sinta ameaçada daquilo que VOCÊ possa proporcionar naquele trabalho e arquitetar planos e fofocas até que você se ofusque na empresa ou mesmo seja demitido.

E fica aqui meu conselho, não importa o que faça, direcione seus planos para si mesmo e não se importe com que os outros farão ou dirão de você. Com certeza eles falhariam na mesma missão e jamais te superariam.

E, para não tomar mais a atenção dos leitores que, agradeço muito de terem lido até aqui, deixarei uma fábula relacionada a tais contos numa nova categoria (mais um alvéolo preenchido no Favo): Exame de consciência.

Uma ótima semana a todos!

Anúncios